F51 – Gerenciamento do Valor Agregado

Home > Gerenciamento de Projetos > PMBok 5ª Edição > Ferramentas e Técnicas

F51 – Gerenciamento do Valor Agregado

Ferramenta do processo: << 7.4 Controlar o Custos do Projeto

O Gerenciamento do Valor Agregado (GVA – EVM em inglês), em suas varias formas, é um método geralmente usado para a medição do desempenho.

Integra as medidas de escopo, custos e cronograma para auxiliar a equipe de gerenciamento a avaliar e medir o desempenho e progresso do projeto. É uma técnica de gerenciamento de projetos que requer as informações de uma linha de base integrada contra a qual o desempenho pode ser medido na duração do projeto.

Os princípios do GVA podem ser aplicados a todos os projetos em qualquer setor.

O GVA desenvolve e monitora três dimensões chave para cada pacote de trabalho e conta de controle:

  • Valor Planejado (PV): é o orçamento autorizado designado para o trabalho a ser executado para uma atividade ou componente da EAP. O total do VP algumas vezes é chamado de Linha de Base de Medição do Desempenho. O valor total planejado para o projeto também é conhecido como Orçamento no Término (ONT);
  •  Valor Agregado (VA): é o valor do trabalho terminado expresso em termos do orçamento aprovado atribuído a esse trabalho para uma atividade ou componente da EAP. É o trabalho autorizado que foi terminado, mais o orçamento autorizado para o mesmo;
  • Custo Real (CR): é o custo total incorrido e registrado na execução do trabalho para uma atividade ou para um componente da EAP. É o custo total incorrido na execução do trabalho que o VA mediu.

As variações a partir da linha de base aprovada também serão monitoradas:

  • Variação de Prazos (VP): é uma medida do desempenho do cronograma em um projeto. É uma métrica útil, pois pode indicar que um projeto está se atrasando em relação a sua linha de base.

VP = VA – PV, onde

VP = variação de prazos;

VA = valor agregado;

PV = valor planejado.

  • Variação de Custos (VC): é a medida do desempenho dos custos em um projeto. A VC indica a relação entre o desempenho físico e os custos gastos.

VC = VA-CR, onde

VC = variação de custos;

VA = valor agregado;

CR = valor real.

  • Índice de Desempenho de Prazos (IDP): é uma medida do progresso alcançado comparado ao progresso planejado em um projeto. As vezes é usado em conjunto com o índice de desempenho de custos (IDC) para prever as estimativas finais do término do projeto.
    • IDP < 1.o => indica que menos trabalho foi executado do que o planejado;
    • IDP > 1.0 => indica que mais trabalho foi executado do que planejado.

IDP = VA / PV, onde

IDP = índice de desempenho de prazos;

VA = valor agregado;

PV = valor planejado.

  • Índice de Desempenho de Custos (IDC): é uma medida do valor do trabalho executado comparado ao custo real ou progresso feito no projeto. O IDC mede a eficiência de custos do trabalho executado.
    • IDC < 1.0 =: indica um excesso de custo para o trabalho executado;
    • IDC > 1.0 => indica um desempenho de custo abaixo do limite até a data presente.

IDC = VA / CR, onde

IDC = índice de desempenho de custos

VA = valor agregado;

CR = valor real.

A figura 1 usa uma Curva em S para exemplificar o controle de desempenho.

Curva S

Figura 1: Valor agregado, valor planejado e custo real.

Fonte: A autora (2011).

 

Referência Bibliográfica

PMI. A Guide to the Project Management Body of Knowledge. 5°  Edição, 2013.